Fugitivos de Mossoró: Fotos mostram buracos abertos nas cercas da penitenciária de segurança máxima

Fugitivos de Mossoró: Fotos mostram buracos abertos nas cercas da penitenciária de segurança máxima

Imagens estão em um ofício enviado pelo diretor nomeado para a prisão após a fuga com respostas à Polícia Federal, que investiga a fuga.

Imagens colhidas após a fuga de Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Mendonça da Penitenciária Federal de Mossoró, no dia 14 de fevereiro, mostram os buracos abertos pelos dois fugitivos nas cercas que circundam a unidade prisional.

As fotos estão em um ofício enviado pelo diretor nomeado para a prisão após a fuga, Carlos Luis Vieira Pires, com respostas à Polícia Federal, que investiga a fuga e a rede de apoio montada pela facção Comando Vermelho. O g1 e a Inter TV Cabugi tiveram acesso ao documento datado do dia 16 de fevereiro.

Foto das ferramentas usadas pelos fugitivos para conseguir cortar a cerca da Penitenciária Federal de Mossoró — Foto: Reprodução

Foto das ferramentas usadas pelos fugitivos para conseguir cortar a cerca da Penitenciária Federal de Mossoró — Foto: Reprodução

O ofício também traz imagens do local onde estavam armazenados os equipamentos usados durante as obras de reforma na penitenciária, separados das demais áreas externas do presídio por um tapume metálico e o suposto trajeto dos fugitivos até chegar ao perímetro externo

Local onde estavam armazenados os equipamentos usados durante as obras de reforma na Penitenciária Federal de Mossoró — Foto: Reprodução

Local onde estavam armazenados os equipamentos usados durante as obras de reforma na Penitenciária Federal de Mossoró — Foto: Reprodução

O diretor ainda enviou à Polícia Federal uma foto que mostra os dois alicates que teriam sido usados pelos fugitivos para cortar uma das cercas.

Segundo o relato do diretor do presídio à PF, a fuga foi percebida no início da manhã do dia 14 de fevereiro por servidores de plantão responsáveis pela entrega da alimentação no setor de isolamento, onde os presos eram mantidos desde a chegada à unidade em outubro de 2023.

Ainda segundo o relatório, a escala de plantão do dia 13 de fevereiro contava com 27 agentes no turno diurno e 29 no noturno. Ainda havia um agente em serviço extra, cinco ausências e dois servidores em permuta.

Buraco feito pelos fugitivos na cerca da Penitenciária Federal de Mossoró — Foto: Reprodução

Buraco feito pelos fugitivos na cerca da Penitenciária Federal de Mossoró — Foto: Reprodução

Ainda segundo o diretor, a análise das câmeras de segurança revelou que os dois fugitivos escaparam por volta das 3h30.

As informações preliminares informadas à Polícia Federal foram de que os após saírem das celas pelas luminárias e acessaram o shaft – área de serviço localizada atrás das celas com encanamentos e instalações elétricas, os presos “subiram para a cobertura do isolamento com o auxílio de uma escada fixa (…) e de cordas artesanais (teresas)”, diz o documento.

Após afastarem uma telha e desceram para a área externa por um poste que estaria apagado, os presos tiveram acesso às várias ferramentas da empresa terceirizada que realizava a obra no presídio. “Com as ferramentas, os dois conseguiram suspender a tela que dá acesso ao corredor entre as Torres de vigilância 3 e 4 e, posteriormente, cortaram a segunda tela que separa a Unidade do perímetro externo”, diz o relatório.

O caso segue em investigação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal dentro da Operação Tatu, que também apura a rede de apoio montada pela facção Comando Vermelho aos dois fugitivos, na região, após a fuga.

Buscas

Nesta quinta-feira (7) a força-tarefa entrou no 23º dia de buscas pela dupla de fugitivos. A polícia que trabalha nas buscas acredita que a dupla está desarmada, sem apoio e sem condições de ir mais longe. Acredita-se que os fugitivos ainda estejam na região de Baraúna, a 35 quilômetros de Mossoró.

Segundo as investigações, Deibson e Rogério não estariam mais com nenhum aparelho celular e um deles estaria machucado e mancando, segundo informações de testemunha que foi ouvida pelos policiais na quinta (29).

As buscas tiveram o reforço de dois policiais penais especializados em operações especiais e um cão farejador da raça pastor-belga-malinois do Mato Grosso nesta quinta (7).

Por Igor Jácome, Ayrton Freire, Iara Nóbrega, g1 RN e Inter TV Cabugi

**SIGA O INSTAGRAM DO @RNEMFATOS

admin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *